Loading...

Conf imprensa Rui Caetano,Valor das facturas da água, 28-10-2010

210 views

Loading...

Loading...

Transcript

The interactive transcript could not be loaded.

Loading...

Loading...

Rating is available when the video has been rented.
This feature is not available right now. Please try again later.
Published on Oct 28, 2010

Conf imprensa Rui Caetano,Valor das facturas da água, 28-10-2010

O PS-Madeira acusou esta manhã a Câmara Municipal do Funchal de querer impor um "pacote de medidas de austeridade" autárquico aos munícipes.

Em declarações aos jornalistas, o vereador socialista na CMF, Rui Caetano, insurgiu-se contra o aumento brutal das tarifas da água, facto que "está a levar alguns consumidores ao desespero", alegou.

"O PS-Madeira não aceita nem compreende como é que os funchalenses pagam 2%, 5% do seu vencimento para a água e em alguns casos os valores a cobrar atinjam mesmo 90% do salário. Temos conhecimento de dezenas de situações destas. Isto é inaceitável e as pessoas estão completamente desesperadas", avisou. O autarca exemplificou com a situação, absolutamente insólita, de uma munícipe com um vencimento na ordem dos 500 euros mensais e a quem a CMF enviou um aviso alertando-a para o pagamento de uma factura no valor de 440 euros. "É absolutamente inaceitável o que está a acontecer", frisou Rui Caetano.

Para o vereador do PS-Madeira, ao adoptar estas práticas a CMF manifesta uma grande insensibilidade social, uma dureza face ao impacto da crise nos orçamentos familiares que não pode ser escamoteada. Se é certo que o município aprovou já uma proposta para reduzir o valor das tarifas no espaço de dois, três anos, para Rui Caetano o 'já' tem também a maior importância, porque é agora que os funchalenses estão a ser confrontados com estes valores.

"É indiscutível que a CMF precisa de receitas e a água é um bem precioso que deve ser pago, mas há certamente outras formas de arrecadar receita", afirmou.

Uma opção viável em termos de receita, sugeriu Rui Caetano, seria o Governo Regional indemnizar o município do Funchal pela demolição do edifício Minas Geraes. Para Rui Caetano o embargo decretado pela autarquia ao prédio em 2008 "trouxe custos sociais significativos", suportados pela edilidade, que o executivo devia cobrir dividindo o valor da indemnização pelo proprietário do imóvel, o promotor Ricardo Sousa, e pela CMF.

Loading...

When autoplay is enabled, a suggested video will automatically play next.

Up next

to add this to Watch Later

Add to

Loading playlists...