Loading...

Desertesejo

707 views

Loading...

Loading...

Rating is available when the video has been rented.
This feature is not available right now. Please try again later.
Published on Oct 5, 2014

Gilbertto Prado
Desertesejo (2000/2014)

(english version bellow)

Desertesejo é um ambiente virtual interativo multiusuário que permite a presença simultânea de vários participantes. O projeto explora poeticamente a extensão geográfica, as rupturas temporais, a solidão, a reinvenção constante e proliferação de pontos de encontro e partilha.

Ao entrar no ambiente virtual, o viajante encontra uma caverna de cujo teto caem pedras suavemente. Qualquer uma delas é clicável. Após o clique, o viajante é transportado para um novo ambiente, no qual carrega essa pedra. Poderá então depositá-la em algum dos montes (apaicheta) presentes nos diferentes espaços. A pedra constituirá um marco da passagem desse viajante e ficará como uma indicação, para outros, de que ele esteve ali.

Mas a entrada nesse ambiente pode acontecer de três formas diferentes. Ao clicar sobre uma pedra na caverna, o viajante poderá ser transportado como uma onça, uma cobra ou uma águia. Ou seja, poderá andar, arrastar-se ou voar sobre o ambiente, como em um sonho xamânico, mas não saberá de antemão que forma assumirá nesse novo espaço.

Os ambientes são compostos de paisagens, de fragmentos de lembranças e de sonhos, sendo navegável em rotas distintas que se entrecruzam e se alternam, que se encadeiam e se compõem em diversos percursos oníricos:

1. Ouro é a zona do silêncio. Nesse primeiro ambiente, a navegação é solitária.
2. Viridis é o espaço do céu e cores. Nele, o viajante vê sinais da presença de outros, mas sem ter contato direto com eles.
3. Plumas é o eixo dos sonhos e das miragens. Nesse ambiente, o viajante interage diretamente com outros, via chat 3D. É a zona do contato e da partilha entre os avatares dos diferentes usuários.

Versão restaurada de 2014, em implementação.

---------------

Desertesejo is a poetical exploration of geographical extension, the temporary ruptures, the loneliness, the constant re-invention and the proliferation of points of meeting and sharing.

On entering the virtual environment, the traveller comes across a cave which has rocks falling gently from the ceiling. Any of these rocks can be clicked on. After having clicked on a rock, the traveller is transported to a new room, in which he or she has to carry the previously selected rock. The traveller can then place the rock on one of the various heaps (apaicheta) that are found in various locations inside the virtual environment. The rock will show that this traveller has been there and will act as a sign of his/her presence to other travellers.

There are three different ways to enter this room. By clicking on a rock inside the cave, the traveller will be transported as a tiger, a snake or an eagle. In other words: the traveller will be able to walk, slither or fly across the landscape, as if in a shamanistic dream, but the traveller won't know beforehand what form he/she will take on in this new location.

The environments are made up of landscapes, fractions of memories and dreams. The communicate each other and form a chain, creating various oneiric paths:

1. GOLD. This is the zone of silence. In this first room the navigation is lonely.
2. VIRIDIS. This is the space of heaven and colors. Inside it, the traveller will see signs that indicate the presence of other travelers, but won't have any direct contact with them.
3. FEATHERS. This is the axis of dreams and mirages. Within this room the traveller interacts directly with others, via 3D chat. This is the zone of contact between the avatars of different users.

Restored version of 2014, in implementation.

---------------
CRÉDITOS/CREDITS:

Gilbertto Prado
Desertesejo (2000/2014)

realização: Rumos Arte e Tecnologia - Novas Mídias 1998-1999
modelagem 3D e VRML: Nelson Multari
web-design: Jader Rosa
versão 2014
modelagem 3D: Jonathan Biz Medina
coordenação técnica: Marcos Cuzziol

EXIBIÇÕES/ EXHIBITS:

AAA: Archiving as Art/ISEA- Centre Saint Charles, Univ. Paris 1, França (2000); Mediaterra 2000 - International Art and Technology Festival, Atenas, Grécia; Link_Age - Muestra internacional de arte participativo, Gijon, Espanha (2001); 9º Prix Möbius International des Multimédias (Prêmio Menção Especial) –Pequim, China (2001); XXV Bienal de São Paulo - Net Arte (2002); Sala de Arte Contemporáneo Luis Miró Quesada Garland, Lima, Peru (2002); Centro Cultural Banco do Brasil, Brasília (2004); Corpos Virtuais, Centro Cultural Telemar, Rio de Janeiro (2005); 15˚ Videobrasil, SESC Pompéia, São Paulo (2005); Memória do Futuro, Itaú Cultural, São Paulo (2007); Bienal Arte Nuevo InteractivA '09, Mérida, México (2009); Singularidades/ Anotações: Rumos Artes Visuais 1998-2013 sobre a memória dos primeiros 15 anos do programa Rumos, Itaú Cultural, (2014).

Loading...

When autoplay is enabled, a suggested video will automatically play next.

Up next


to add this to Watch Later

Add to

Loading playlists...