Loading...

Como se crema um defunto

14,527 views

Loading...

Loading...

Transcript

The interactive transcript could not be loaded.

Loading...

Loading...

Rating is available when the video has been rented.
This feature is not available right now. Please try again later.
Published on Jan 4, 2014

A cremação no Brasil tem custo variável, de R$ 1.000,00 a R$ 5.000,00.
Esses valores são somente do processo da cremação. É importante considerar que existem despesas com o serviço funerário, caixão, velório e o translado até a cidade onde existe o forno. Isso tudo soma o quanto custa a cremação.
Em São Paulo, o número de cremações dobrou, desde janeiro de 2008, enquanto houve menos sepultamentos -- o jazigo mais barato, com três gavetas, custa R$ 4,5 mil, e a cremação, R$ 2.150, ou menos da metade. Isso em Guarulhos.
Quanto Custa Cremação
Quanto Custa a Cremação
Na região de Curitiba três empresas prestam o serviço particular de cremação, nos municípios de Pinhais, Campina Grande do Sul e Campo Largo. Em média, o procedimento custa R$ 2,5 mil, podendo variar de acordo com os itens escolhidos para a cerimônia, e está disponível em planos de cremação preventiva, que minimizam a burocracia, ou em pronto-atendimento, contrato para uso imediato.
O processo de cremação somente pode ser realizado se houver o documento (declaração) registrado no cartório com declarada vontade do falecido de ser cremado.
Entre em contato com um crematório. Inicialmente identifique o crematório na sua cidade ou estado.
Cada crematório possui uma estrutura diferente, com opções e ambientes diferentes.
Para saber quais são os crematórios no Brasil, acesse o menu no topo deste site.
Um corpo inteiro, obeso ou magro, velho ou jovem, com cabelos, roupas, ossos e vísceras em questão de segundos transforma-se em alguns resíduos. Cinzas dão lugar ao personagem que saiu da vida para retornar à natureza em forma de carbono: isto é, basicamente, o que acontece na cremação de um morto.

As temperaturas dos crematórios excedem os 1000ºC, o que é possível derreter até metais, que dirá o nosso frágil corpo nessa tradição milenar que é a cremação.

Embora não seja tão difundida no Ocidente, no Oriente essa prática é mais consagrada, dialogando com o sagrado onde a queima do cadáver costumar significar um ato de purificação, limpando o "profano" do corpo e tornando a alma liberta.

Na história, vemos a cremação muito utilizada nos grandes reinos para "limpar" a chacina depois de uma grande guerra, como faziam os gregos antigos queimando as "sobras" das batalhas. Com a chegada e forte influência da religião judaico-cristã a prática passa a ser vista como uma heresia, sendo reservada apenas como castigo aos transgressores.

Nesse ponto de vista, a justificativa era que a alma levaria certo tempo para se desvincular do corpo. Muitos espíritas, por exemplo, não admitem que o corpo seja incinerado antes de pelo menos 72 horas. Já nas religiões protestantes, não há restrições de acordo com as diretrizes, no entanto, há sempre a relutância por parte dos fiéis. Talvez devido a um paralelo imaginário com o inferno.

Felizmente, no Brasil a Constituição garante o direito à cremação, bastando para isso que a pessoa deixe esse pedido devidamente registrado em cartório -- e mesmo assim, lamentavelmente, ainda depende de testemunhas e de trâmites burocráticos como liberação por parte dos médicos e nenhum empecilho causado pelo familiar responsável, ou seja, nem o direito de um morto é dado como certo.

Em termos econômicos a cremação é muito mais viável, custando na faixa de R$100 a R$150 nos crematórios públicos, por outro lado, um serviço de enterro tradicional dos mais simples não vai sair por menos de R$250,00.

O processo é rápido e não é dolorido -- claro. Antes que o morto seja levado ao forno, ele passa um período em uma câmara de refrigeração que serve como uma espécie de "pausa" para fins de IML e outros empecilhos familiares que poderá ocorrer. Após, o morto, dentro de um caixão, é levado a uma temperatura de 1200ºC que transforma-o do estado sólido para o gasoso imediatamente. Depois de umas 2 horas o estado gasoso passa a se solidificar, tais restos ainda passam por um triturador e por fim, a famosa caixinha com as cinzas do morto é entregue ao responsável (tem um prazo para reclamar as cinzas).

Dizem que uma pessoa com média de 75 kg ficará reduzida a menos de 1kg de pó! -- O meio ambiente agradece!

Particularmente, não tenho dúvidas quanto a essa preferência quando eu morrer -- sou claustrofóbico =) -- o fogo vai encarregar-se de realmente me "matar" caso tudo não passe de um engano. Embora seja raro hoje em dia, é possível encontrar notícias de pessoas que foram dadas como mortas erroneamente... Já imaginou como seria acordar preso dentro de um caixão?!

Em São Paulo, contamos com um dos maiores crematórios do mundo, localizado na Vila Alpina (zona leste), fundado em 1974 o local realiza cerca de 10 cremações por dia. (Fonte: Prefeitura de São Paulo)

Loading...

When autoplay is enabled, a suggested video will automatically play next.

Up next


to add this to Watch Later

Add to

Loading playlists...