Loading...

Bairro Jardim Iracema - Fortaleza - Ceará (PARTE 1/2)

18,833 views

Loading...

Loading...

Transcript

The interactive transcript could not be loaded.

Loading...

Loading...

Rating is available when the video has been rented.
This feature is not available right now. Please try again later.
Uploaded on May 1, 2010

Meu Bairro na TV no Jardim Iracema

Oficialmente, bairro tem pouco menos de dois anos
19/09/09
Oficialmente, o Jardim Iracema tem pouco menos de dois anos, mas os moradores estão no local há muito mais tempo, desde que a área pertencia à Barra do Ceará. Na próxima segunda-feira (21), o Jardim Iracema completa 51 anos de existência como comunidade.
O nome, segundo os mais antigos, é uma homenagem à índia, personagem de José de Alencar.

Pelo bairro, muitas ruas têm nomes indígenas.
Um bairro simples, de muita gente pela rua. O Jardim Iracema é o quinto de Fortaleza em densidade populacional. São 25 mil moradores em pouco mais de um 1 km², uma média de 232 moradores por quarteirão. O primeiro nome do lugar foi Sítio Santo Amaro, quando a área ainda pertencia à família do coronel Carvalho. Depois, veio o loteamento da imobiliária de Oswaldo Risato. Na época, o bairro era chamado de Paulistinha. O nome Jardim Iracema só apareceu anos depois. "É um dos mais antigos. Falava-se que havia um professor e uma professora, que era indianista. Esse nome foi em homenagem à Iracema do José de Alencar", afirmou o pintor Otto Alexandre.

O Jardim Iracema é muito novo, foi reconhecido como bairro há dois anos. Otto, que chegou aos nove anos ao bairro, fala quais são os limites. "Trilho da RFFSA, campo do Ferrovíario".
A dona-de-casa Maria do Nascimento chegou em 1970. Ela lembra de um bairro onde as ruas não tinham calçamento, mas o lugar era como uma grande horta, cheio de rios e até lagoa. "Ele era todo dividido por riachos. Aqui, passava um riacho e tinha muito peixe", comentou a dona-de-casa.
Hoje, com tantas casas, é difícil ver o verde. Uma das referências mais antigas do bairro é a capelinha na rua Tulipa. Outra, é a paróquia de Santo Antônio de Pádua.
Vontade de mudar
O bairro guarda uma grande riqueza: a vontade de crescer de muitos moradores. Há um ano, eles criaram uma oficina de vassouras feitas de garrafas pet. O processo é simples: as garrafas são lavadas, cortadas em tiras finas, aquecidas por 30 segundos e então encaixadas na madeira.

Cada vassoura é vendida por R$ 5 e representa bem mais para os participam da oficina. "O projeto, além de servir para tirar o lixo do meio ambiente, serve também como fonte de renda para essas famílias", disse o supervisor de produção José Carlos Bezerra.
A autônoma Júlia Rodrigues é uma das 12 pessoas que trocou a vida incerta catando lixo pela fábrica artesanal. Mais do que fazer vassouras, ela aprendeu que é possível mudar de vida e ainda acreditar no futuro. "A gente aprende e ensina aos outros também, porque Deus não quer que a gente guarde para a gente. Se a gente recebe de graça, dá de graça".
Por enquanto, a associação que Júlia trabalha vende as vassouras nas ruas do bairro, de porta em porta, mas eles aceitam encomendas. O telefone para contatos é o 3282.1174. Essa iniciativa pode ser uma saída encontrada pela própria comunidade para que as famílias mais pobres consigam se inserir no mercado de trabalho.

Loading...

When autoplay is enabled, a suggested video will automatically play next.

Up next


to add this to Watch Later

Add to

Loading playlists...