Loading...

SciELO 15 Anos - Garantindo/assegurando a qualidade, por Janet Seggie

100 views

Loading...

Loading...

Transcript

The interactive transcript could not be loaded.

Loading...

Rating is available when the video has been rented.
This feature is not available right now. Please try again later.
Published on Feb 25, 2014

Janet Seggie

Revisão pelos pares é uma "bênção"1 sobre a ciência que tem sido revisada pelo seu mérito para publicação. "A fase de revisão por pares continuará a ser essencial para garantir que o corpo da ciência cresça através de descobertas e afirmações reais e embasadas. A revisão por pares exclui desinformação prejudicial enquanto se adapta a novos resultados... em última análise, é um serviço extraordinário provido gratuitamente pelos cientistas para a comunidade científica e a sociedade como um todo".2 Entretanto, seu processo é inerentemente frágil, sendo dependente de um revisor selecionado por seu/ sua experiência dentro do campo, mas que não é remunerado para a realização da tarefa, deve encontrar tempo para a tarefa em meio a uma carreira/vida pessoal movimentada, e pode ter, até certo ponto, perdido perícia (com o aumento da senioridade sua/seu engajamento e atividade em pesquisa pode diminuir). O processo é, em grande parte um processo amador, é frequentemente inconsistente e subjetivo, é lento, é sujeito ao abuso/preconceitos e geralmente é cego, e, portanto, é opaco aos autores (a "mão invisível"), e pode estar sujeito ao viés de gênero , pode não conseguir identificar falhas metodológicas em artigos de pesquisa, devido à falta de experiência em design de estatística e pesquisa por parte do revisor. O sistema "clássico" envolve uma revisão da primeira fase por parte do Editor (idealmente assistida por um pequeno grupo que compreendem o caráter da publicação para a qual trabalham e apreciam os interesses/necessidades dos leitores do periódico), seguido pela seleção a partir de uma lista de avaliadores voluntários. Se tudo correr bem, os dois ou três revisores graciosamente assumem a tarefa e retornam opiniões razoavelmente consistentes em tempo hábil. O processo raramente é tão bem sucedido como este. (E, talvez esta primeira etapa da revisão possa ser suficiente -- para discussão). A revisão por pares é um meio valioso de melhorar a qualidade do que é publicado. No seu melhor, ele oferece um feedback construtivo para os autores que, em seguida, usam a orientação para melhorar os seus manuscritos. O processo de revisão deveria -- mas muitas vezes não ocorre -- alertar o editor de possíveis deficiências éticas, fraude, (auto) plágio e publicação "salame" (para discussão). O futuro: Soluções podem estar na formação de avaliadores, cobrança de uma taxa ao(s) autor(es) para a revisão, o pagamento para o(s) revisor(es), o uso de software para detecção de plágio, perguntar ao(s) autor(es) nomes de possíveis revisores dentro da área, revisão não cega ou aberta (tornando pública a identidade dos revisores ou tornando a identidade dos autores conhecidas pelos revisores, ou ambos), oferecendo acesso aberto a autores e revisores do processo completo de revisão, explorando a internet para facilitar a análise em tempo real, deixando de operar com confiança, exigindo acesso aos dados sobre os quais as conclusões científicas se baseiam (problemas de capacidade!) na revisão pós-publicação e revisão pré-publicação para prover "sabedoria das multidões" (utilizando comunidades científicas para disseminar opinião e sustentar normas para publicação de pesquisa acadêmica ). 1. "Rooted in belief" peer-review the future: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/artic... 2. Richard Akerman Nature (2006) doi: 10.1038/nature04997 - See more at: http://www.scielo15.org/programa/#1

Loading...

When autoplay is enabled, a suggested video will automatically play next.

Up next


to add this to Watch Later

Add to

Loading playlists...