Loading...

LuKá EmmE aka MC M - Tudo isto é Coimbra

140,679 views

Loading...

Loading...

Transcript

The interactive transcript could not be loaded.

Loading...

Loading...

Rating is available when the video has been rented.
This feature is not available right now. Please try again later.
Published on Dec 26, 2010

Booking / Management: mc_m_management@hotmail.com
Fan Page: https://www.facebook.com/lukaemme

Letra:
Entro em Coimbra, vejo o Portugal dos pequeninos
E no alto logo ao lado a Rainha Santa sem peregrinos
Caminhando passo a ponte sobre o Mondego, passo a "Portagem"
Onde o Hotel conta "Astória" desta bela paisagem,
Vejo a Torre da Universidade tão famosa esta imagem,
Dou um saltinho até às Docas e muitos casais também o fazem,
Continuo a dizer que Coimbra também é minha,
Como o "Jardim é da Sereia" e como "Arco é da Almedina",
Passo na praça 8 de maio dou logo de cara com bófias,
Gordos e Largos como o velho Basófias,
De frente para mim tenho a Rua da Sofia,
Monumental e antiga inspira a minha filosofia,
Subindo, passo o mercado e o "Leão de Camões",
Um mendigo vem ter comigo à procura de uns tostões,
Lá lhe dei o que ele queria e continuei a subida,
Em direção ao Cartola, passando pelo "Avenida",
Passo pela "Associação" e o "Gil Vicente", chego ao Cartola,
Onde Capas Negras esvoaçantes enchem a praça a ver a bola,
Escureceu e Coimbra ganhou uma nova vida,
Estudantes de Capa Negra procuram o bar com a melhor batida,
Mas ainda é cedo e ainda há muito p'ra escrever,
O "Papa" espera-me na rotunda de braços abertos para me receber,
À minha volta a Prisão, o Quartel e o Jardim Botânico,
Em Coimbra também há merda, mas o nosso lixo é orgânico,
Em Coimbra até temos um "vale" onde há uma "Quinta com flores",
E uma Quinta das Lágrimas que ainda chora por amores,
No alto a Universidade onde já fui tão feliz,
Onde escrevo esta letra sentado aos pés de D.Dinis,
Do lado oposto às monumentais vejo a Faculdade de Direito,
Atravesso a Porta Férrea e o espaço é perfeito,
A Capela, a Via Latina e a Biblioteca Joanina,
Onde a poesia mais antiga faz a história de Coimbra,
Olho para o fundo e o rio reflete a lua,
Mando um grito p'ra cidade: "yo Coimbra "Faz a tua"",
Chamam-me nomes mas em Coimbra, até uma "torre é Cabra",
Chama-me aquilo que quiseres que eu tenho o dom da palavra,
Em Coimbra há tudo, só não há espaço para herois,
Porque esse mandamo-los para a conchada embrulhados em lençois,
Coimbra sempre dominada pela Mancha Negra do vosso luto,
Porque a Briosa perca ou ganhe mantém sempre o estatuto,
Para quem dizia que eu nem sequer conhecia a minha cidade,
Este som é só uma amostra do que este boy sabe...

MC M

  • Category

  • License

    • Standard YouTube License

Loading...

Advertisement
When autoplay is enabled, a suggested video will automatically play next.

Up next


to add this to Watch Later

Add to

Loading playlists...